domingo, 5 de abril de 2009

Feminices

-Ô mãe,me explica,me ensina,me diz o que é feminina?
-Não é no cabelo,no dengo ou no olhar,é ser menina por todo o lugar.
-Então me ilumina,me diz como é que termina?
-Termina na hora de recomeçar,dobra uma esquina no mesmo lugar.

(Joyce)

Uma coisa que me intrigava sempre quando minha mãe dizia pra eu ser mais feminina:o que é ser feminina?
Eu não sei,nunca soube.Minha mãe dizia pra eu me arrumar mais,pra eu usar saltos mais vezes pra parecer mais feminina.E também ser mais delicada.Então feminina é isso?Eu tenho que ser mais delicada?Tenho que usar saltos e maquiagem o dia todo?De onde veio o conceito de feminilidade?

Tenho cá pra mim que veio do conceito de beleza e da idéia do que é ser mulher.Só que esses conceitos foram elaborados ao longo do tempo por uma sociedade patriarcal,onde o papel da mulher é basicamente atrair um homem pra ser seu marido e pai dos seus filhos-o que acaba alimentando a competição que existe entre mulheres.Então,nós temos que ser lindas e delicadas para agradar a frente masculina e causar inveja em nossas companheiras de gênero.

Tá tudo errado,sisters.Primeiro ponto:beleza é algo muito relativo.O que é bonito pra uma pessoa,pode não ser pra outra,e assim em diante.Segundo:devíamos nos preocupar com o que nós achamos de nós mesmas,e não o que os outros acham.Parece clichê,mas é verdade.E se beleza é relativo e cada um tem sua personalidade,então a tal da feminilidade também varia.Eu posso perfeitamente ser feminina usando bermuda e all star.Não deixo de ser mulher.Posso usar salto como posso não usar.Posso ser delicada em alguns momentos e ser mais rústica em outros.Vou continuar sendo mulher.E atraente para alguns homens sim,mas sem me apegar a isso.

Porque pra mim ser feminina é ser mulher acima de tudo.E ser mulher vai muito além da superfície,da embalagem,do rótulo.Ser mulher é ser corajosa.É enfrentar o mundo de peito aberto,cada uma com seu jeito.E ser menina por todo o lugar.

2 comentários:

Anelise Csapo disse...

Amei!

Eu tenho um pouco desse dilema do gênero também, e em parte isso se deve às pressões da minha mãe quando ela comenta coisas como: "Tá parecendo um moleque com essas roupas largas! Fique mais feminina!"

Como assim?

Daí no meu trabalho meperguntam das minhas preferências sexuais só porque eu ando meio "largada" e daí quando eu apareço maquiada e com o cabelo penteado as pessoas se assustam, tsi!

Uma vez vi uma entrevista com o diretor do filme "falshdance" em que ele dizia que achava mto bonito e feminino uma mulher com roupas largas ou lembrando um operário de fábrica...super me identifiquei!!!!

E quanto as revistas eu tb sou mto viciadinha, adoro descobrir umas importadas doidas, mas a maioria eu fiquei sabendo pela internet mesmo, mais do que torrando meu pobre salarinho em banca! Vc tem myspace? Pq lá eu achei o perfil de várias revistas u ó e posso te passar prá vc fuçar tb!!!!

E o livro é lindo, tem na livraria que eu trabalho e se vc não achar dá prá encomendar e mandar na tua casa! Vamos nos falar? Pode ser email, msn, enfim...adorei vc!

Bjs!

Gabriela Rodrigues. disse...

Olá Carol...caramba esse mundo ta pequeno, parece que a gente tem uma amiga em comum ( a romã) e alguns gostos em comum também, vc lê o manhê, adorooo!! Vim comentar, quem tinha comentado acima: a Anelise! hehe legal, sempre que me sinto a vontade dou uns pitacos lá no manhê (até pq tem uns papos muito de mãe que ainda não sou capaz de falar) hehehe e sei lá se serei capaz no futuro...
Enfim, gostei e me identifiquei bastante com este post, até pq sempre fui meio moleque também, e nunca me importei com esta questão da imagem de minina, claro chega na adolescência (maldita fase) que bate várias nóias, mas parece que reafirmei mais ainda minhas convicções naquela fase, pois se fosse pra gostar de alguém só pela aparência eu não queria ser amiga ou affair desta pessoa, não suportaria um minuto de conversa...

Acho que vale mesmo a atitude, até pq até hoje ando bem larguada, e não tenho grandes problemas com minha "feminilidade" (isto?).
Como já diria a Simone de Beauvoir: vc não nasce mulher, tornar-se mulher. Se vc vai se sujeitar aos parâmetros sociais do que eles acreditam como ser mulher é outra coisa. Temos o direito e o dever de construir nossa propria imagem, e fala sério já chega dessa sociedade burgusinha patriarcal né, não?

po, acho que te visitarei com freqüência hein... hehehe

e sobre a questão da violência, é preciso muita discussão e luta pra solvermos mais este problema, a começar de fato, pela segurança pública. Segurança pública, pra quem mesmo? Pois assim como vc disse não sei mais qual é a dos policiais mesmo não. Isto da tanto papo...