quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Cresceu e apareceu...e não viu nada

Sempre que podia,bebericava algum uísque barato no boteco.Não era tão constrangedor ser flagrado completamente bêbado pelo chefe.Estava pouco se fodendo para aquele velho.Pouco se fodendo para a bosta daquele emprego.O ambiente do escritório lhe causava angústias e náuseas.

O uísque estava lá,lhe esperando.Chegou a pensar em trabalhar num boteco bem sujo.Seria praticamente um psicólogo.Imagina,um psicólogo!De loucos,travestis,prostitutas e cornos.Era o que queria...Muito melhor do que ficar olhando pra cara daquele imbecil e aturando suas broncas,seus preconceitos .

Sabia,porém,que o salário seria dolorosamente menor.Dolorosamente não pra ele.Mas para a mãe deprimida e seu filho que acabara de nascer,prematuro.Não entendia a pressa de seu filho pra nascer.Bebês não têm a menor noção das dores de cabeça desse mundo.


**************************************************
um post,finalmente!!! texto nem tão bom assim,mas foi o q deu pra fazer no meio desse furacão em q me encontro.
como andam as coisas pr'ocês?

bjins=*****
Carolina L.

2 comentários:

Luiza disse...

Hm, o texto tá bom, sim ;)

Gabriela Rodrigues. disse...

Gostei do micro conto! só achei que foi rápido demais... Mas te entendo completamente, também to sem tempo de respirar! Mas as coisas vão bem. E olhe tá chegando o Mola o no Circo Voador, bandas boas, exposição, poesia, e teatro tudo de graça, eu devo ir em algum dia...

um beijooo